Em matéria do Estadão, nosso sócio Paulo Macedo Garcia Neto comenta a movimentação de empresas na intenção de acessar recursos em depósitos judiciais, que somam R$ 250 bilhões, dados em garantias em processos.

Paulo afirmou à reportagem que as empresas também começam a vislumbrar a possibilidade de acesso a depósitos judiciais em negociações entre partes privadas, como em discussões em arbitragens, por exemplo.

Confira a matéria completa.

Acknowledgements